5 de jan de 2009

Carta ao FIPIR


Feliz Ano Novo!

Meus companheiros e companheiras, quero agradecer ao apoio de todos (as), durante estes anos que estivemos juntos. Lutando para que nossas ações afirmativas, sejam implementadas definitivamente.

Meus respeitos e admiração a todos (as) vocês, que juntos conseguiram construir um novo momento para o movimento negro em nossos municípios.

A partir deste ano de 2009, não sou mais Assessor Especial de Promoção da Igualdade Racial de Araraquara, infelizmente o projeto político de meu partido, o PT, não foi vitorioso nas urnas em 2008, assim não poderemos dar continuidade as inovadoras políticas públicas no município para a promoção da igualdade racial. Mas minha luta não para por aqui, pelo contrário. Esta foi, mais uma escola que a vida me ofereceu.

Aprendi muito com vocês, não sairei da política, muito menos da luta, a escola que tivemos nestes últimos anos, não podemos deixar de lado, e temos como obrigação transmitir aos novos militantes.

Até breve, e conte comigo. Saio com o coração cheio de esperança, de que vocês irão conduzir nossa luta com sabedoria, fraternidade, dignidade e respeito.

Abraços

Washington Lúcio Andrade

Tel.: (16) 3337 3558
Email.: contato@portalafricas.com.br
aepir@hotmail.com
site: www.africas.com.br

13 de ago de 2008

20 de Novembro

Enviada: qui 24-07-2008 12:39

Caras (os) gestoras (es)

Com os nossos cumprimentos cordiais, retomamos contato para solicitar informações a cerca das comemorações referentes ao "20 de Novembro", a saber :

- o que está programado em seu município, região e estado;
- quem serão os parceiros, os participantes, os realizadores;
- onde e quando;
- necessidade de participação da SEPPIR ? Como?
- não haverá agenda que implique participação direta da SEPPIR/PR

Precisamos de um quadro inicial para dia 05 de agosto deste, para possibilitar possível agendamento e também para divulgação (internet/calendário) junto aos parceiros e organismos FIPIR no país.

Assim sendo, aguardamos a sua resposta e atualização

definitiva no início de setembro.

Agradecemos o empenho.

Fraternalmente,

Maria do Carmo Ferreira da Silva - Cacá
Gerente de Projeto FIPIR-Fórum Intergovernamental de Políticas de Igualdade Racial
Assessora para Assuntos Federativos/SASF

Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - SEPPIR - Presidência da República - PR
55 (61) 3223-5916/9124-6349 - Brasília-DF

Reunião FIPIR/ SÃO PAULO - 14 de agosto


Prezados (as) Gestores (as) do FIPIR/SP

Venho por meio desta solicitar a sua presença na reunião ordinária do dia 14 de agosto de 2008.

Local: Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do Estado de São Paulo - Rua Antonio de Godoy, 122 - 9º andar - sala 94 / Centro - São Paulo - Telefones: (11) 3223-8477 / 3331-2946;

Horário: 13h; (Favor respeitar o horário)

Pauta:
- Construção do encontro dos Gestores do Sudeste em Setembro;
- Construção do projeto de capacitação e criação da rede de atendimento do SOS Racismo.

7 de ago de 2008

Nova coordenadoria do FIPIR/Sudeste

Ata da reunião Rio de Janeiro do FIPIR/Sudeste

Rio de Janeiro, 2 de julho de 2008

Pautas:

- Análise de conjuntura para as políticas de igualdade racial;
- Avaliação do quadro a substituição da Ministra Matilde e a nova composição da equipe de sub-secretários e os desafios de um ano eleitoral no âmbito municipal que como conseqüência substituirá vários gestores;
- Informes FIPIR por estados (RS – SP – MG- ES);
- Necessidade de um plano estratégico de preparação da estrutura de coordenação, para enfrentar o desafio da continuidade das ações sem ter que começar do zero, em relação á composição e projeto de ampliação e consolidação das políticas e do próprio fórum, articular e planejar;
- Eleição da nova coordenação do FIPIR/ SUDESTE para o biênio 2008-2009;
- Informes dos estados membros do FIPIR/SUDESTE – Relatório de 15 min verbal;
- Construir e executar um encontro reunindo 67 gestores municipais e convidados para planejar estas ações;
- Dar fim, em consenso; elegendo uma coordenação que julgamos capaz de gerenciar este projeto, conduzi-lo no intuito desta transição ser o menos traumática possível.

Ações:

• Encontro do FIPIR/SUDESTE - Será na cidade de Araraquara/SP no mês de Setembro, presença de 67 gestores

Nova coordenação do FIPIR/SUDESTE, ficando assim:

Washington Lucio Andrade
Prefeitura de Araraquara - SP
Coordenador do FIPIR / SUDESTE
Assessor Especial de Promoção da Igualdade Racial
Tel.: (16) 3322 8316 / 9714-7806

Mozart Jose Serafim
Prefeitura Municipal de Vitória - ES
Vice - Coordenador do FIPIR / SUDESTE
Gerencia de Políticas e Raça
Tel.: (27)9229 – 6484

7 de jul de 2008

Estamos no ar

Ai está o meu primeiro contato com este Blogger.

Sou José Saboia dos Santos.
Coordenador de Politíca de Igualdade Racial da cidade de Contagem MG.

Um abraço a tod@s.

20 de jun de 2008

ATA - FIPIR/São Paulo.

Resumo da Reunião - 04 de junho de 2008

O Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial - FIPIR / SP realizou reunião na sede da Coordenadoria dos Assuntos da População Negra -CONE , para tratar a respeito da construção da audiência pública e da agenda com o ministro Edson dos Santos.

O Sr. Luiz Eduardo Batista e Elisabete Aparecida Pinto da Secretaria Municipal de Saúde, apresentaram o projeto Saúde com Cultura, uma parceria entre Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Cultura, o objetivo é que mais municípios desenvolvam o projeto.

Washington propôs que Luiz Eduardo participe das reuniões regionais levando a temática saúde da população negra ao demais municípios, o mesmo aceitou a proposta e se comprometeu em enviar o projeto para FIPIR.

Luiz Eduardo Batista divulgou que nos dias 02 e 03 de julho haverá no município de Campinas uma Oficina de Saúde com a População Negra e terá 70 vagas, o mesmo propôs que 15 dessas vagas fossem destinada ao FIPIR e delas tirarem candidatos para o Conselho Municipal de Saúde, por unanimidade a proposta foi aceita.

Foi abordado a possibilidade de a SEPPIR arcar com as defesas do encontro da região sudeste que será realizado no estado de São Paulo.

Propostas:

Próxima reunião dia 04/07/2008, seja convidado a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia e a Frente Parlamentar para Promoção da Igualdade Racial, para colaborarem na construção da agenda do ministro.

Agendar reunião com os parlamentares.

Ficou deliberado que a visita do ministro será priorizado aos municípios presente nas reuniões, já que não será possível que o ministro Edson dos Santos compareça em todos os municípios de São Paulo.

30 de mai de 2008

FIPIR/SP implementa projeto

120 anos de Abolição da Escravatura Inacabada



Campanha “Racismo: se você não fala, quem vai falar?”


O FIPIR/SP em parceria com a Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias da Secretaria de Estado da Cultura irá implementar o projeto: 120 anos de Abolição da Escravatura, do qual faz parte a campanha “Racismo: se você não fala, quem vai falar?” que terá duração de 90 dias, a população dos Municípios poderão se manifestar sobre esse tema por meio de cartas podendo ser postadas em urnas espalhadas por locais de grande acesso do público, e-mail ou site.


Os 120 melhores textos, escolhidos por uma comissão de consultores, serão publicados em um livro que marcará as ações da Secretaria da Cultura nas comemorações do Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro.

As cartas depositadas nas urnas serão lidas por estudantes de universidades de São Paulo. Eles receberão dos consultores Dagoberto Fonseca, Luiz Carlos dos Santos, Oswaldo de Camargo e Vera Benedito, treinamento específico para uma leitura qualificada do material. Todos os textos inscritos pelo site, desde que autorizados pelos autores, permanecerão disponíveis para consulta.

A campanha deve ser iniciada ainda em maio em algumas cidades do estado. No ano em que completamos 120 anos de uma abolição inacabada, a discussão e a reflexão sobre o tema é fundamental, principalmente sendo feita diretamente com toda a população. A expectativa é que o projeto atenda mais de 100 mil pessoas em todo o Estado. Assim teremos uma participação democrática na construção permanente da Igualdade Racial.

FIPIR/SP

6 de mai de 2008

FIPIR / São Paulo


Prezados (as) senhores (as),

É motivo de orgulho de todos (as) a demonstração de articulação que apresentaram os gestores do FIPIR/SP, na reunião realizada no dia 30 de abril. Mais uma vez tivemos que superar as dificuldades e insistir na construção de um novo momento. Nesta reunião juntos fomos capazes de lançar largas bases de planejamento para os próximos meses de ação das políticas públicas relacionadas à temática racial. Podemos assim, vislumbrar hoje o imenso fortalecimento de nossa construção, revelada em nossa capacidade de avaliação das dificuldades e dos avanços em nossa prática executiva.

Foi fundamental para nosso crescimento a experiência exercida pela coordenação anterior, onde sendo a primeira, teve inúmeras dificuldades, mas dentro das condições existentes conseguiu plantar em nós o ideal de luta e esperança.

É evidente que este novo patamar que alcançamos, é fruto de um extenso acúmulo de construção política, um verdadeiro patrimônio político dos negros (as) de todo o nosso país. Neste reconhecimento, agradeço o apoio dos gestores do Estado de São Paulo, presentes na reunião e ciente das dificuldades dos que não puderam comparecer, na fundamental ação articulada que contribuiu para que pudéssemos hoje contar com a indicação por aclamação, desta nova coordenadoria para o FIPIR/SP.

Sobre os elementos desta nova conjuntura, podemos, portanto reconhecer um processo diferenciado pelo qual iremos juntos construir, um novo momento político em nosso fórum. Uma conjuntura onde o espaço democrático de debate será privilegiado, e as ações e participação ativa dos gestores reconhecida e considerada quanto parte integrante da construção das diretrizes que guiarão todas as nossas políticas. Assim, esta coordenadoria, está imbuída deste espírito político democrático, valorizando a participação política e consciente dos principais objetivos para a execução de suas tarefas.

As diretrizes que guiarão nossas ações são frutos do debate entre os gestores de SP, se pautando prioritariamente nas reivindicações do movimento negro de nosso Estado. Iniciamos nossas ações com uma articulação inovadora, onde conseguimos recursos via emenda parlamentar. Nossa linha de atuação no Estado propõe a construção de parcerias estratégicas, a institucionalização do FIPIR/SP, o avanço da execução da Lei 10.639, a ampliação da rede de atendimento do SOS Racismo, a implementação do Estatuto de Igualdade Racial e a formação dos gestores de São Paulo, buscando assim fortalecer o intercambio político no Estado.

Toda esta construção tem como ideal avançar, no reconhecimento da execução de políticas especificas de cada gestor em suas cidades e do apoio de todos nesta construção. É fundamental, toda a troca de experiência política com gestores de outros estados de nosso país. Estratégia esta, essencial para que nosso avanço ocorra de forma unitária, harmônica e enraizada em todo o território e imaginário brasileiro. Tendo ainda em vista, que todas as diretrizes que regem a concepção das políticas públicas do FIPIR/SP estão em concordância com as orientações da Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR.

Por fim, quero ressaltar que o contexto privilegiado que atravessamos contribui para que possamos atuar numa área fundamental para o avanço das experiências que apresentamos. Portanto necessitamos consolidar o poder de articulação entre os gestores de nosso estado, ampliando a capacidade de troca de experiências e capacidade de execução das políticas públicas por nós defendidas.

Fraternalmente,

Washington Lúcio Andrade
Assessor Especial de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Araraquara
Coordenador do FIPIR/SP.

29 de abr de 2008

Reunião FIPIR/São Paulo

Data: 30/04/2008
Local: Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo;
Pauta: - Eleição da nova coordenaria do FIPIR/SP;
- Apresentação da Sr.ª Maria do Carmo Ferreira da Silva - Coordenadora do FIPIR/SEPPIR; Sr.ª Fernanda Papa - Fundação Friedrich Ebert;
- Planejamento das ações para 2008 - FIPIR/SP;

Programação:

09h - Cadastro dos (as) gestores (as) do FIPIR/SEPPIR Estado de São Paulo;

10h - Sr.ª Maria do Carmo Ferreira da Silva - Coordenadora do FIPIR/SEPPIR;

11h - Eleição da nova Coordenadoria do FIPIR/SEPPIR Estado de São Paulo;

12h15min - Almoço;

14h - Informações sobre Subsecretaria de Políticas de Ações Afirmativas – SUBAA / Subsecretaria de Planejamento e Formulação de Políticas – SUBPLAN / Subsecretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais – SUBCOM / Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial – CNPIR;

15h - Fernanda Papa - Fundação Friedrich Ebert;

15h40min - Planejamento 2008;

17h - Encerramento.

3 de abr de 2008


Curso Quesito Cor


APRESENTAÇÃO:


O curso sobre “Quesito Cor” capacitação de gestores e técnicos da Prefeitura Municipal de Araraquara é uma iniciativa do Centro de Referência Afro da cidade de Araraquara em Parceria com a UNESP - Universidade Estadual Paulista através do NUPE - Núcleo Negro da UNESP para Pesquisa e Extensão que trabalha com pesquisa e formação sobre relações raciais no Brasil.

OBJETIVO
O curso pretende proporcionar uma formação básica sobre relações raciais no Brasil, proporcionando o debate de questões relativas ao racismo, a violência por ele produzida, bem como as estratégias para combatê-lo. Dentro desta proposta discutiremos projetos de ações afirmativas construídas no Brasil; o papel do movimento social negro; a visibilidade da população negra em Araraquara e as possibilidades de ação dos gestores e técnicos da prefeitura municipal de Araraquara como mediadores de uma educação que valorize a diversidade étnico-racial nos diversos setores onde atuam. Entendemos que as formulações e consolidações das políticas públicas podem servir de estratégias centrais na promoção de igualdade de oportunidade para os cidadãos da cidade.


200 técnicos e gestores da prefeitura municipal de Araraquara, das doze (12) secretarias a cada dois (2) meses.


Corpo Docente Básico
Prof. Dr. Dagoberto José Fonseca
Mestranda Priscila Elisabete da Silva – NUPE/CLADIN
Mestranda Érika Tonelli de Araújo - NUPE/CLADIN

CARGA HORÁRIA:

Por turma: 32hs
Total de horas curso: 128hs.

PROGRAMA DO CURSO E CRONOGRAMA

MODULO 01 – POLÍTICAS PÚBLICAS DESTINADA AOS AFRO-DESCENTENTES DA CIDADE DE ARARAQUARA
Ementa: O curso pretende introduzir a questão das políticas públicas destinadas a população afro-descente, focando especificamente a cidade de Araraquara. Fazendo um histórico da temática na cidade e dar um panorama das ações realizadas nos últimos anos.Além disso, introduzir a lei do quesito cor neste quadro mais geral.

MÓDULO 02 - RACISMO, DISCRIMINAÇÃO, PRECONCEITO E OUTROS CONCEITOS
Ementa: O curso problematizará a construção dos conceitos de “raça”, “racismo”, “discriminação” e “preconceito” a partir dos seus fundamentos teóricos, construções e usos no senso comum destacando as características do racismo na sociedade brasileira. A intenção é problematizar estas questões a partir do depoimento, ou seja, da experiência dos participantes.

MÓDULO 03. RELAÇÕES RACIAIS NO BRASIL
Ementa: O curso pretende fazer um panorama acerca das características das relações entre brancos e negros no Brasil destacando aspectos da “identidade do negro no Brasil” (escravidão e pós-abolição); o mito da democracia racial no Brasil; Ideologia do branqueamento, mestiçagem e como as desigualdades raciais se manifestam no mercado de trabalho, mídia, educação, saúde, política.

MÓDULO 04 - POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS (CULTURA, EDUCAÇÃO E RACISMO)
Ementa: Análise e formulação das políticas públicas no Brasil; Movimento Social Negro; Políticas Públicas e Justiça Social; Ações Afirmativas: História, Conceito e Definição; Idéia de Justiça Distributiva e igualdade de condições; Leis Anti-Racistas tendo como foco os temas: Cultura, Educação e Racismo.

MÓDULO 5 - GÊNERO, ETNIA E SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA
Ementa: Histórico sobre a Mulher negra no Brasil; Panorama sobre a Saúde pública no Brasil e a situação da população negra; Doenças específicas da população negra; Situação de vulnerabilidade das mulheres negras na saúde; Políticas públicas para negros na saúde.

MÓDULO 06 - NEGRO NO MERCADO DE TRABALHO
Ementa: Racismo nas relações inter-pessoais nas empresas públicas e privadas; Idéia de competência e meritocracia; Branquitude (Etnocentrismo); estética; perfil racial das maiores empresas no Brasil; a importância da Diversidade étnico racial no mercado de trabalho;

MÓDULO 07- RACISMO, VIOLÊNCIA E CRIMINALIZAÇÃO
Ementa: Violência racial no Brasil; Vulnerabilidade da juventude negra; Criminologia do racismo; Leis Anti-racismo; intolerância religiosa em relação às religiões de Matriz Africana.

MÓDULO 08 - AVALIAÇÃO

METODOLOGIA: Haverá a exposição do filme “Olhos azuis”, cujo tema versa sobre a importância da discussão sobre relações raciais bem como propõe uma mudança no modo de ver o preconceito racial e a discriminação de modo geral.
Após a apresentação do filme, o público vai apresentar uma avaliação escrita e oral expondo qual foi o aprendizado obtido durante o curso de formação? Quais são os desafios a partir do curso? Quais propostas de ação para vencer estes desafios?

Observações

1. O curso será realizado as quartas e quintas-feiras de cada semana.

2. Horário do curso: Será distribuído em dois blocos: 8hs às 12hs (com intervalo de 15mins.) e das 14hs às 18hs (com intervalo de 15mins.)

3. Distribuição das turmas: a cada dia de aula atenderemos cerca de 100 pessoas (servidores públicos) que se distribuirão em turmas de 50 pessoas (manhã e tarde), totalizando cerca de 200 pessoas por semana.

17 de fev de 2008

Nomeado por Lula, Santos diz que manterá rumo da Seppir



Por: Redação: Entrevista ao Editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira. - Fonte: Afropress: Foto - Isabel Freitas - 14/2/2008

Brasília – O novo ministro da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), deputado Edson Santos, 53 anos, nomeado nesta quinta-feira (14/02) disse, em entrevista exclusiva à Afropress, que “o rumo geral da Secretaria deve ser mantido”. “O presidente Lula acha que o rumo deve ser mantido. Eu também acho isso e ele me confiou essa tarefa”, afirmou.

Santos, o candidato negro com maior votação para deputado federal nas eleições de 2006 (105 mil votos) foi chamado pelo Presidente, juntamente com o secretário interino Martvs Chagas para uma conversa no Palácio do Planalto, e aceitou o convite de Lula. Ele toma possa na próxima quarta-feira, dia 20/02, às 11h30, em solenidade marcada para o Palácio do Planalto.
Candidato até ontem à Prefeitura do Rio, ele negou que o convite para a Seppir tenha sido uma decisão do presidente de interferir no tabuleiro da sucessão municipal do Rio. “O presidente não colocou isso em nenhum momento”, afirmou.

Na semana passada o jornalista Antonio Lúcio, colunista de Afropress escreveu que a ida de Santos para a Seppir seria um apoio indireto ao candidato do governador Sérgio Cabral, o ex-deputado tucano Eduardo Paes, que deixou o PSDB recentemente para se filiar ao PMDB carioca.

Veja, na íntegra a entrevista, concedida pelo ministro da Seppir ao Editor de Afropress, jornalista, Dojival Vieira.

Afropress - O senhor acaba de aceitar o convite do Presidente Lula para assumir a Seppir, em substituição a ministra Matilde Ribeiro. O convite o surpreendeu?
Edson Santos - Sim, eu fui surpreendido pelo convite. Agora agente já assimilou. O presidente do Partido (PT), deputado Ricardo Berzoini, primeiro me sondou antes do presidente formalizá-lo na manhã desta quinta-feira.

Afropress - Quando foi a sondagem?
Santos - Foi na sexta-feira ou sábado de carnaval?

Afropress – O que o senhor pretende mudar na Seppir?
Santos - A Seppir já tem todo um planejamento elaborado. Vamos dar continuidade aos programas que já vem sendo desenvolvidos, ir adaptando as coisas.

Afropress - A Seppir vinha sendo acusada de ser excessivamente paulista e predominantemente petista...
Santos - Agente tem de medir o resultado na ponta, sem discriminar as pessoas por serem dessa ou daquela região, desse ou daquele partido. Até porque a Seppir já conta nos seus quadros com lideranças oriundas de outras partidos como o PSB, o PC do B, o PMDB. A temática racial deve ser tratada com o máximo de amplitude. O central é fixar um diálogo com a sociedade, a partir da temática racial. Chamar a sociedade a uma reflexão sobre a desigualdade existente em nosso país.

Afropress - O que a sociedade e o Movimento Negro devem esperar com a sua gestão?
Santos - O presidente acha que o rumo central deve ser mantido. Eu também concordo e ele me confiou essa tarefa.

Afropress - O senhor pretende, na sua gestão, dar alguma ênfase a defesa da aprovação do Estatuto da Igualdade Racial?
Santos - Acho que o Estatuto é uma questão central. Precisamos conversar com as entidades do Movimento Negro para chegar a um entendimento, a um texto consensuado para que se possa dialogar com o Executivo e o Legislativo no sentido de se criar as condições para a aprovação do Estatuto.

Afropress - A sua nomeação tem ligação com a sucessão municipal no Rio de Janeiro, pelo interesse do Presidente Lula de manter uma aliança com o governador Sérgio Cabral, como se especula?
Santos - O presidente não colocou em nenhum momento isso. Apenas disso que, face ao pedido de demissão da ministra Matilde, contaria comigo. Ele dá uma grande importância ao trabalho da Seppir.

Afropress - Mas, efetivamente, o senhor deixou de ser candidato?
Santos - O sonho da gente de se fazer uma disputa no Rio se mantém. Fui vereador por 18 anos. Mas, nesse momento está adiado, foi postergado.

Afropress O Senhor, embora negro, não é um quadro oriundo do Movimento Negro. Acha que terá dificuldade por isso?
Santos - Não acredito, até porque sempre tive uma relação boa com o Movimento Negro. Recebi manifestações simpáticas e positivas do Movimento Negro. Não terei dificuldades nessa área não.

Afropress - O ministro interino Martvs Chagas fará parte de sua equipe?
Santos - Estamos conversando. Como ele é também dirigente do PT, sempre tivemos uma relação muito boa.

Afropress - O senhor ainda pertence ao grupo da ex-governadora Benedita da Silva?
Santos - O que acontece é que sou da mesma corrente da Secretária e ex-governadora Benedita. Sou do ex Campo Majoritário, agora Construindo um Novo Brasil. Por conta da nossa história de vida pessoal, temos sim uma relação muito próxima.

Afropress - O que a sociedade e o Movimento Negro podem e devem esperar da sua gestão à frente da Seppir?
Santos - Exatamente essa construção do diálogo com a sociedade; a busca pela criação de instrumentos legislativos e de ações executivas para diminuir a desigualdade racial em nosso país. A sociedade está madura para entender a importância da Secretaria. A sociedade majoritariamente reconhece a desigualdade no país. O Estado tem de ser um instrumento para reduzir essas desigualdades.

Afropress - O senhor continuará usando o cartão corporativo?
Santos - O cartão corporativo é um instrumento da administração pública para atender as necessidades emergenciais. Uma vez feita a normatização do seu uso, que é uma decisão do Presidente da República, isso nos permitirá continuar a usá-lo para atender a determinadas urgências e emergências.

Afropress - Como o senhor acompanhou os episódios que resultaram na demissão da ministra Matilde?
Santos - Quanto à questão da ministra Matilde, digo com tranqüilidade que não houve má fé. Ela foi uma excelente gestora, uma excelente ministra. As bases da Seppir foram criadas por ela.

Afropress - Da Seppir para o futebol, para que time torce no Rio?
Santos - Sou América Futebol Clube.

Fonte: Afro Press

15 de fev de 2008

COMUNICAÇÃO POLÍTICA E POLÍTICAS DA COMUNICAÇÃO

Núcleo Omi-Dùdú e Grupo de Pesquisa Permanecer Milton Santos/UFBA, oferecem curso de formação para lideranças sociais e do movimento negro de março a junho de 2008.


Responsável: Jornalista e Prof. Dr. Fernando Conceição.

Objetivo do curso
Colaborar para a formação e capacitação de lideranças dos movimentos sociais, incluído o Movimento Negro, no que tange às especificidades da Comunicação Política e das Políticas de Comunicação em vigor no Brasil e no mundo, em um momento em que a sociedade brasileira – preparando-se para mais uma campanha eleitoral em 2008 – passa por transformações políticas que devem resultar em maior diversidade e pluralismo democrático. O foco do curso são a Comunicação e a Política, assim como a relação intrínseca dessas duas esferas científicas.

É inegável o papel que a Comunicação, como ciência social aplicada, exerce nas atuais relações entre as pessoas e os grupos organizados, ou não, nas sociedades modernas. Parte da vida cotidiana dos seres humanos, a Comunicação é não apenas linguagem, mas instrumento e ferramenta de poder. Nesse sentido, os conteúdos programáticos terão como recorte a construção da imagem dos movimentos sociais pela Análise da imagem do negro nos meios de comunicação brasileiro.

Espera-se, portanto, criar possibilidades de produção de um discurso contra-hegemônico pelos movimentos sociais no enfrentamento das políticas de Comunicação vigentes. Para tanto, serão estudados veículos de comunicação alternativos: jornais, rádios, vídeo, cinema, TV e Internet, bem como, estudo da comunicação como campo de poder. Nada mais oportuno para o fortalecimento da consciência crítica dos agentes incumbidos na construção de uma sociedade mais democrática que proporcionar-lhes o acesso ao conhecimento científico. O curso de formação Comunicação Política e Políticas da Comunicação aqui proposto, visa suprir uma lacuna.

Os produtos finais do curso de capacitação e formação serão um jornal mural e um programa de rádio, frutos do módulo de práticas de Comunicação.

Publico alvo
Os agentes sociais, incluindo aí o Movimento Negro, necessitam interagir constantemente com os setores que gerem e administram a Comunicação no país. As lideranças sociais, desde jovens envolvidos com movimentos culturais e outros que atuam em associações de bairros, de mulheres, sindicais, estudantis, e de combate aos preconceitos raciais, de gênero e de classe, devem ser os principais interessados em apreender os mecanismos de domínio da Comunicação. É este o público que o curso aqui proposto quer abrigar. Para participar será necessário que esses agentes tenham disposição para leitura e vontade de discutir o novo. Nível médio de escolaridade formal é recomendável, embora não seja um obstáculo para quem queira aprender.

Formato
50 horas/aulas: de 4 de março a 3 de junho de 2008.
4 horas semanais: Terças-feiras e Quintas-feiras, das 19h às 21h.
Quantidade: 03 módulos.
Número de vagas: 40 (quarenta).

Processo de Inscrição e Seleção
Das 40 vagas, 20 podem ser preenchidas por indicação de entidades do movimento social, incluindo o Movimento Negro, que deve selecionar até 2 candidatos por entidade.
As demais vagas devem ser preenchidas por candidatos avulsos, não indicados por entidades, mas que comprovem atuação social.
O candidato fará sua inscrição mediante apresentação dos seguintes documentos; carta de encaminhamento da organização que pertence; copias de RG, CPF, TITULO e 02 fotos 3X4.
O curso terá caráter gratuito, as inscrições devem ocorrer de 13 a 25 de Fevereiro de 2008, de segunda a sexta das 09h, às 17h, na sede do Omi-DuDu: Rua Monte Conselho N. 121, Rio Vermelho, próximo a 7ª Delegacia de Polícia, tels:71- 33342948 e 33345982 -Rafael Anjos.


Fonte: CMA Hip Hop – Comunicação Militância e Atitude Hip-Hop

Seminario Saúde da População Negra, Quebrando Barreiras e dialogando com AIDS e Racismo











A Secretaria Municipal de Saúde de Lauro de Freitas, através da Coordenação de Saúde da População Negra e Coordenação de DST/AIDS, estará promovendo o "I Seminário Saúde da População Negra, Quebrando Barreiras e dialogando com AIDS e Racismo". Tal evento será realizado nos dias 14 de Fevereiro, das 8:00 h às 18:00 h, no Centro de Referencia Afro-brasileiro Mãe Mirinha de Portão. O Seminário tem como finalidade aprofundar as discussões com os temas Racismo Institucional e Preconceito e Discriminação frente à Epidemia da AIDS para os profissionais de saúde e áreas correlatas.








Fonte: Saude da População Negra.

29 de nov de 2007

Show encerra mês da Consciência Negra

Grandes nomes da MPB se apresentam num dos bairros mais negros de Salvador, Cajazeiras 10


Consciência negra e cidadania através da música. Para encerrar o Novembro Negro – série de atividades que destacam a luta da população negra por igualdade e pela preservação da memória das comunidades quilombolas, o Governo da Bahia e a Secretaria de Promoção da Igualdade, realizam amanhã (30), às 19h, na Praça da Revolução, em Salvador, um show num dos bairros constituído majoritariamente por negros e que já abrigou comunidades tradicionais de quilombos, Cajazeiras 10. Na programação se apresentam nomes da Música Popular Brasileira como Cidade Negra, Leci Brandão, Lazzo, Mariene de Castro e Aloísio Menezes. Negras e negros reunidos (as) para celebrar conquistas e incentivar a luta por justiça social, por igualdade.


Diana Clara Condá – Jornalista (DRT/BA: 2523)

Assessora de Comunicação da Secretaria de Promoção da Igualdade – Sepromi

Tel: (71) 3115-5112 / 5113 / 5127 / 8883-1261

23 de nov de 2007

Eventos fazem parte do mês da “Consciência Negra” em Mato Grosso

As comemorações alusivas ao mês da “Consciência Negra” continuam em andamento na capital de Mato Grosso. No último dia 17 de novembro aconteceu a oficina estética, maquiagem e cabelos afros, das 13 às 17 horas, na rua sete de setembro, nº. 427, centro da cidade, na sede da Federação das Entidades Culturais de Mato Grosso (Fecmat).

Também fez parte da programação: concurso de beleza Cuiabáafro, feijoada zumbi junto com festival de beleza negra, inúmeras palestras com temas consciência negra e violência contra mulher, show do Chico César, gincanas culturais, música, mesas-redondas e dança. O encerramento está previsto apenas para 14 de dezembro, aniversário de instalação do Conselho Municipal de dos Direitos da Mulher (CMDM).

Confira abaixo o que ainda vai acontecer na programação:

Data: 23/11 Violência contra mulher. Quem mete a colher? Local: Praça Alencastro, Centro. Horário: 8h às18h Organização: CMDM, CEDM, Comissão dos Direitos da Mulher -OAB/MT, Fórum de Articulação de Mulher de Mato Grosso, NUEPOM –UFMT, Vice-Prefeitura de Cuiabá Contato: 3615-8498

Data: 22 a 24/11 Projeto : “Como as mulheres podem ajudar salvar o planeta” Oficina de Reciclagem de Papel e de Alumínio Local: Bairro Morada do Ouro Horário: 8h às 17h Organização: Vice-Prefeitura Contato: 3051-9050 / 3023-4568

Data: 24/11 Ação pró-defesa dos direitos da mulher Assistência Jurídica gratuita, palestras, lazer Local: Bairro Morada do Ouro Horário: 8h às 17h Organização: Vice-Prefeitura, Comissão dos Direitos da Mulher/ OAB-MT e CMDM Contato: 3051- 9050/3023- 4568 / 3613-0900 III Gincana cultural sobre violência contra a mulher Local: EMEB São Sebastião – Bairro São Sebastião Horário: 8h às 12h Organização: NUEPOM/UFMT Contato:3615-8498

Data: 25/11 à 10/12 Campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher”Divulgação da Lei Mª. da Penha, palestras, vídeos-fóruns, cursos Lançamento Local : Parque Mãe Bonifácia Horário : 14h Organização : CMDM, Governo do Estado, Ministério Público, Prefeitura de Cuiabá/Vice-Prefeitura, Tribunal de Justiça / 1ª Vara Especializada em Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. Contato : 3648-6114 / 3051-9050

Data: 25/11 Aniversário do Projeto “O futuro é agora” Local: Bairro São Benedito Horário: 18h Organização: Caçula do Pandeiro e Moacir Rodrigues Contato: 9621-3992/9232-4145

Data: 28/11 Discriminação Racial Palestrante: João Negrão Local: Legião da Boa Vontade,Rua São José do Operário, S/N, Bairro Dom Aquino. Horário: 16 h Organização: LBV Contato: 3317-3808

Data: 29/11 Mesa - redonda:Violência contra a mulher e “Inconstitucionalidade da lei Maria da Penha” Local: Auditório do Centro Cultural/UFMT Horário:19h Organização: CMDM, CEDM, Comissão dos Direitos da Mulher -OAB/MT, Fórum de Articulação de Mulher de Mato Grosso, NUEPOM –UFMT, Vice-Prefeitura de Cuiabá Contato: 3615-8498

Data: 30/11 II Concurso CuiabáAfro-Beleza e Gênio - FINAL Local: Ginásio Verdinho - Rua Alenquer S/N, esquina com Av. Rubens de Mendonça, CPA I Horário: 20h Organização: Vice-Prefeitura Contato: 3051-9050/3023-4568

Data: 30/11 à 02/12 Workshop Capoeira Angola – Conexão Bahia II Local: SESC Porto, Rua São Joaquim, 399, Centro. Horário: 18 às 22 h (dia 30) 08 às 22 h (dias 01 e 02)Organização: Federação Mato-Grossense de Capoeira- FMC Contato: 9227-4499

Data: 02/12 Dia Nacional do Samba Local: Choperia Nosso Canto - Bairro Dom Aquino Horário: 18 h Atrações: KARADOGOL, SEDUSAMBA E LUCIDEZ. Organização: MOVIMENTO DO SAMBA Contato: 9907-8876

Data: 03/12 Natal Azeviche Local: Morro da Caixa da Água Velha Horário: 8h às 22 h Organização: Conselho Estadual do Direito do Negro/ Secretaria Municipal de Cultura Contato:9245-3185

Data: 05/12 Educação e Igualdade Racial: Caminhos para a Cidadania Palestrante : Dr. Hédio Silva / CEERT Local : Hotel Fazenda Mato Grosso Organização : Vice-Prefeitura / Secretaria Municipal de Educação Contato : 3051-9050/3023-4568 / 3051-9307

Data: 07/12 Artesanato na Praça Local: Praça Alencastro, Centro. Horário: 8h às 18 h Organização: Vice-Prefeitura Contato: 3051-9050/3023-4568

Data: 11/12 Reunião da Comissão do CMPIR / Implementação do Programa de Anemia Falciforme Local : Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial - Av: Tenente Coronel Duarte, 186, Centro Horário : 15h00 Organização : Vice-Prefeitura, CMDM e CMPIR

Data: 12/12 Anais da II Conferência Municipal de Políticas para as mulheres Local: Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Avenida: Tenente Coronel Duarte, 186, Centro. Horário: 15h00 Organização: Vice-Prefeitura, CMDM e CMPIR

Data: 14/12 Aniversário de instalação do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial - CMPIR, e Conselho Municipal dos Direitos da mulher - CMDM - Apresentações culturais, posse de conselheir@s, premiação dos vencedores do II Concurso de Redação. Local: Sede do CMPIR e do CMDM - Av: Tenente Coronel Duarte, 186, Centro Horário: 16h Organização: Vice-Prefeitura, CMDM e CMPIR

Fontes: Vice-Prefeitura de Cuiabá e Jornal 24 Horas News.

Livro resgata história do Beiru

A Fundação Pedro Calmon (Bahia/Salvador), da Secretaria de Cultura, e a Secretaria de Promoção da Igualdade realizam no Mês da Consciência Negra uma série de lançamentos de livros de autores negros. Ontem à noite, o Grupo Mundo Negro lançou a cartilha Beiru, na sede da instituição.

Na oportunidade, aconteceu uma palestra – Memória Negra –, com o presidente da Fundação, Ubiratan Castro, e a ialorixá Clarice dos Santos, do Ilê Axé Gezubum.

A cartilha é uma iniciativa da Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro, que busca resgatar a identidade do bairro através da reafirmação do nome Beiru, em vez de Tancredo Neves.

O livro traz a história do bairro (Quilombo Urbano), por meio de depoimentos, fotos e relatos de moradores, além de pesquisas que discutem o histórico e a origem do nome Beiru.

Fonte: Diário Oficial do Estado da Bahia, 23/11/2007.

21 de nov de 2007

SEMUR lança "Selo da Diversidade" em Salvador

Um ato solene na manhã da última terça-feira, (13), no Palácio do Rio Branco - Praça Municipal, marcou o Lançamento oficial do Programa "Selo da Diversidade" em Salvador. O evento realizado pela Coordenação de Ações de Empreendedorismo da Secretaria Municipal da Reparação (CPE / SEMUR) fez parte da programação do Novembro Negro, em homenagem ao mês da Consciência Negra, e contou com a presença de representantes do poder municipal, empresas de indústrias e hotéis, comércio e Movimento Negro Unificado (MNU).

Participaram da mesa de abertura da cerimônia, o diretor da fundação Pedro Calmon, professor Ubiratan Castro; a coordenadora de Programas e Projetos da Secretaria de Promoção da Igualdade (SEPROMI), Lucy Goes; o secretário de governo, Gilmar Santiago, representando o prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro; o subsecretário da Secretaria Municipal da Reparação (SEMUR), Antônio Cosme, representando a secretária Antônia Garcia (SEMUR). Estiveram presentes ainda a vereadora Eron Vasconcelos; o promotor de Justiça e Cidadania do Ministério Público da Bahia (MP), Almiro Sena; o professor Hélio Santos e a diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos, Melissa Bahia. "Este é o momento em que vamos discutir profundamente as relações de trabalho pensando o componente étnico-racial nas organizações como um todo, assim também como as relações de gênero, na sociedade" com estas palavras o subsecretário da reparação Antônio Cosme deu início a solenidade de assinatura do Projeto Selo da Diversidade.

Na ocasião ele abordou o tema "política de cotas" afirmando que o estado brasileiro comumente ataca essas políticas sem dar nenhuma outra opção que atenda a demanda da população afrodescendente nas universidades. O subsecretário citou ainda uma pesquisa realizada pelo Instituto Ethos realizada neste ano com 500 instituições, apenas 3 % do contingente total de empregados é formado por negros.

De acordo com o secretário de governo Gilmar Santiago, o Selo da Diversidade visa construir um debate na capital da Bahia sobre as oportunidades iguais no mercado de trabalho. "O poder público está se sensibilizando pela causa em defesa de diversidade e sua efetivação", afirmou o secretário. Gilmar, que antes de ser nomeado secretario do governo, atuou à frente da SEMUR, como secretário da Reparação, ratificou a importância do Selo como uma das ações do Programa de Combate ao Racismo Institucional na cidade e também na história da secretaria.

Para o representante da Associação Comercial da Bahia, Sérgio Franco, o Selo é um símbolo importante na reparação de um erro histórico que a sociedade vem cometendo até hoje, de forma a aplicar as relações de igualdade dentro do mercado de trabalho.Já a coordenadora de Recursos Humanos do Shopping Iguatemi, Conceição de Man, disse que a confirmação do Selo da Diversidade é um progresso para a sociedade baiana, principalmente para Salvador, composta por uma população de maioria negra. Ela assegurou que apoiará a SEMUR em todas as ações voltadas para diminuir as desigualdades no mercado de trabalho em Salvador.

Conceição lembrou ainda o projeto "Inserção de jovens no mercado de trabalho" realizado em parceria com a secretaria e os shoppings, nos anos de 2006 e 2007, que já formou até agora duas turmas de 60 alunos, todos afrodescendentes, para trabalhar nestes locais. Segundo a representante da Associação Baiana de Industrias Hoteleiras da Bahia (ABIH-Ba), Vilsemar Rosa, hoje, existe uma equiparação dentro do mercado empregatício na área de hotéis no Estado da Bahia.

"A desigualdade nessa área tem diminuído muito" afirmou Vilsemar. "Em minha vivência como hoteleiro conheço apenas dois trabalhadores negros que trabalham na linha de frente dos hotéis. É de fundamental importância este trabalho da Secretaria Municipal da Reparação, pois atingirá também a nossa área" ressaltou o representante do Sindicato de Hotéis da Bahia, Antônio Barbosa.

O diretor da Fundação Pedro Calmon, professor Ubiratan Castro também convidado para fazer parte da mesa de cerimônia, não deixou de manifestar sua opinião. De acordo com o professor, o Selo é uma iniciativa da PMS que abre uma outra vertente das ações afirmativas, que é o convite a participação da iniciativa privada, através do incentivo político e moral do Selo, que premia e que estimula a incorporação de mão de obra negra nos postos de trabalho.

"É um apoio para que os empregadores passem a praticar uma política de incorporação de pessoal competente afrodescendentes, que antes por motivo de racismo institucional, não se fazia" afirmou o professor. A vereadora Eron Vasconcelos, destacou a importância de se construir no mês do "Novembro Negro" ações direcionadas para os afrodescentendes da cidade. "Muitas mulheres negras sustentam suas casas com dificuldade. Algumas vivem na prostituição, por não encontrarem opção dentro do mercado de trabalho", explicou ela, ressaltando ainda a importância da concepção do Selo para a Bahia.

Selo da Diversidade - O "Selo da Diversidade" foi criado pela Coordenação de Promoção Empresarial da SEMUR e conta com o apoio da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), da Secretaria Estadual da Igualdade (SEPROMI) e a assessoria do Instituto Brasileiro da Diversidade - organização nacional que busca estimular a cultura da diversidade nas empresas.

O programa tem como objetivo reconhecer publicamente às iniciativas de promoção da igualdade racial nas políticas de recursos humanos das empresas e instituições de Salvador conferindo um Selo, que poderá ser utilizado em peças publicitárias das instituições que aderirem ao projeto.

Ao obter esse Selo, as empresas assumirão o compromisso de desenvolver ações para promover a diversidade, elaborando um censo étnico-racial e apresentando propostas de alteração da realidade de sub-representação de afrodescendentes em seus diversos níveis hierárquicos.

As propostas serão analisadas por um Comitê Gestor, composto de organizações representativas dos segmentos governamental, empresarial e da sociedade civil e só depois disto será conferido o Selo.

Fonte: Ascom/Semur.

16 de nov de 2007

Educação promove conferência sobre diversidade étnica - Campinas

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), Fundação Municipal para Educação Comunitária (Fumec) e Programa de Memória e Identidade: Promoção da Igualdade na Diversidade (Mipid), promove nesta segunda-feira, dia 19 de novembro, a conferência temática "Os 120 anos da abolição: uma leitura necessária no município de Campinas". Além da participação dos gestores da Educação, o evento também será aberto ao público interessado.

A conferência ocorre das 9h às 11h e das 13h às 17h no Salão Vermelho do Paço Municipal e visa a discussão de questões relacionadas à diversidade étnica dentro da escola pública e a implementação da disciplina História da África e dos afro-descendentes no currículo escolar, por meio da Lei de Diretrizes Básicas nº 9.394/96 acrescida da lei federal nº 10.639/03 e diretrizes Curriculares Nacionais.

Além dos gestores das unidades escolares da rede municipal de educação e da Fumec, a conferência é destinada ainda a equipes educativas dos Núcleos de Ação Educativa Descentralizadas (Naeds).

Os professores Francisco Sandro da Silveira Vieira e Robson Martins e o professor doutor Hédio Silva Junior farão conferências com o objetivo de dar subsídios aos profissionais da educação na elaboração de planos, projetos, seleção de conteúdos e métodos de ensino, cujo foco seja a História e Cultura Afro-brasileira e Africana e a Educação das Relações Ético-Raciais.

Durante o evento, também haverá o mapeamento e divulgação de experiências pedagógicas nas escolas e levantamento das principais dúvidas e dificuldades dos professores em relação ao trabalho com a questão racial na escola e encaminhamento de medidas para resolve-la, feitos pela administração dos sistemas de ensino e por Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros.

O objetivo é que a partir da conferência temática haja a instalação - no sistema de ensino - de grupos de trabalho para discutir e coordenar planejamento e execução de formação de professores para a inclusão de disciplina sobre a história da África e das relações étnico-raciais em sala de aula, além da bibliografia relativa à cultura afro-brasileira e pedagogia anti-racista nos programas de concursos públicos para admissão de professores.

Fonte: Prefeitura de Campinas

III Mostra de Literatura Afro-Brasileira- Belo Horizonte

No Mês da Consciência Negra, a Prefeitura promove, de 21 a 23 de novembro, a III Mostra de Literatura Afro-Brasileira, simultaneamente ao VII Encontro de Profissionais de Bibliotecas e às comemorações dos 10 anos do Programa de Bibliotecas da Rede Municipal de Educação. As atividades acontecem no Expominas (avenida Amazonas, 6.030, Gameleira ), integrando a XVIII Feira Nacional de Artesanato - "Brasil e África de Mãos Dadas".

A III Mostra de Literatura Afro-Brasileira abordará assuntos importantes para a implementação da Lei 10.639/03, que incluiu no currículo oficial o ensino da História e Cultura Afro-brasileira. Entre os temas a serem abordados estão "Educação, diversidade cultural e cinema", "A importância da literatura afro-brasileira no cotidiano escolar", "História da África e relações étnico-raciais", "As referências das matrizes culturais africanas na arte brasileira", entre outros.

O evento busca contribuir para a formação dos profissionais da educação e estudantes de todas as idades, bem como para a valorização e o acesso à cultura africana e afro -brasileira. Serão três dias de encontros, trocas, diálogos, oficinas, palestras, debates , exposições, performances poéticas e muito mais.

Na Rede Municipal de Educação, todas as escolas já recebem o Kit de Literatura Afro-Brasileira, que em sua terceira edição é composto de 160 títulos, selecionados pelo Núcleo de Relações Étnico-Raciais e de Gênero da Secretaria Municipal de Educação .

Os profissionais e estudantes da Rede Municipal de Educação e das creches conveniadas à Prefeitura podem fazer inscrições para as oficinas e reservas de convites para visitação da Feira pelo telefone 3277-8644 ou 3277-8641.

Fonte: prefeitura de Belo Horizonte